Dívida de Cartão de Crédito e Outras

Dívida de Cartão de Crédito e Outras

Revisão dos Valores

Juros Abusivos, Encargos e Taxas Indevidas

Normalmente, em três meses principalmente a dívida de cartão de crédito, aumenta exponencialmente, em função do cálculo de juros sobre juros, mais multas e encargos que são pagos indevidamente.

A dívida vai crescendo em uma proporção impagável.

Na capitalização mensal de juros, os juros são somados ao capital e incorporam a base para o cálculo da nova contabilização de juros.

Ou seja, a incidência de juros sobre os juros acrescidos ao saldo devedor.

Como consequência da submissão dos contratos bancários ao CDC, quaisquer tarifas de cadastro e de operação cuja cobrança não for prévia e adequadamente informada ao consumidor, que o coloque em desvantagem exagerada, ou que seja incompatível com a boa fé, são abusivas.

É possível requerer a anulação das taxas consideradas indevidas, abusivas ou ilegais, além de multas, comissões de permanência, entre outras.

A lei obriga a devolução do pagamento em dobro destes valores, em favor do consumidor.

Todos os dias são decididas ações judiciais que revisam os contratos, anulam cláusulas abusivas e indenizam o consumidor por conta de ter sido cobrado indevidamente.

Revisão e Renegociação da Dívida de Cartão Crédito

Cobranças indevidas, inclusão do nome nos órgãos de proteção ao crédito.

É possível questionar o saldo devedor atualmente cobrado pelo credor.

É realizada a análise e recálculo dos valores devidos, com base nos extratos do cartão, identificando o valor correto a pagar.

Tanto as pessoas jurídicas como as físicas podem pedir a revisão dos valores cobrados indevidamente.

O artigo 51, inciso IV, do Código de Defesa do Consumidor, diz que são nulas de pleno direito, entre outras, as cláusulas contratuais relativas ao fornecimento de produtos e serviços que estabeleçam obrigações consideradas iníquas, abusivas, que coloquem consumidor em desvantagem exagerada, ou, sejam incompatíveis com a boa-fé ou a equidade.

O artigo 39, inciso V, do Código de Defesa do Consumidor, estabelece que é vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas, exigir do consumidor vantagem manifestamente excessiva.

Verifique quais os encargos pagos indevidamente e valor correto para pagamento, com base na perícia dos extratos com recálculo dos valores corretos.

Solicite informações sobre a perícia legal e financeira dos extratos.

Nesta análise verificaremos as soluções possíveis, para, em seguida, verificar a viabilidade do pedido de revisão do saldo devedor.